OHSAS: Gravia adota norma internacional de segurança e saúde no trabalho

27/02/2013

Dobradeira CNCA Gravia possui desde agosto de 2012 o selo OHSAS 18001:2007, certificado internacional concedido a empresas cujas práticas funcionais e processos operacionais atendem requisitos específicos de medicina e segurança no trabalho. Para alcançar esta certificação, foi necessário implementar um programa de normatização que envolveu a substituição de máquinas e a adoção de uma nova cultura de segurança nas unidades de Brasília.

A implantação da norma OHSAS exigiu uma preparação mais intensa de treinamentos, conscientizando cada colaborador sobre a importância do seu papel para a melhoria da segurança dentro do ambiente de trabalho e envolvendo também o treinamento de prestadores de serviços e até visitantes das fábricas.

Para o controle desse novo sistema, foram criados comitês internos formados por cipeiros, brigadistas e técnicos de segurança do trabalho que fazem o monitoramento constante em todas as unidades Gravia, tanto fabris quanto comerciais. Esse monitoramento é inspecionado por três auditorias anuais, sendo duas por comissão interna e uma pelo organismo certificador. Os auditores internos são preparados para reforçar a integridade da norma implementada. A auditoria externa verifica criteriosamente a aplicação de toda a legislação vigente de segurança e medicina do trabalho – rotas de fugas bem sinalizadas, extintores de incêndio em locais estratégicos, adequação de maquinários, exames médicos feitos de forma periódica etc.

Para Edilene Gravia, diretora de RH, com a adoção da norma OHSAS a Gravia entra em uma nova fase organizacional, demonstrando claramente seu objetivo de desenvolvimento calcado no respeito à segurança, saúde e qualidade de vida aos seus colaboradores, parceiros e clientes.

InfoGravia: Que benefícios a certificação OHSAS traz para a Gravia?
Edilene: A OHSAS apresenta um reflexo positivo e direto dentro da Gravia e na comunidade em que nossas empresas estão inseridas. Ao cuidar da saúde do trabalhador, a Gravia reduz e por vezes elimina as chances de ocorrer um acidente ou doença que poderiam afastar o colaborador de suas atividades. Esse tipo de afastamento traz prejuízos não apenas para a empresa que fica sem a mão-de-obra, mas também para o Estado, que tem de arcar com significativa despesa financeira. Por consequência, perde a família, que vê sua renda reduzida. Porém, a perda maior é sempre do colaborador, que em certos casos tem seu crescimento profissional estagnado ou comprometido, quando não chega à total invalidez funcional.

InfoGravia: Como a Gravia se preparou para implementação da norma OHSAS?
Edilene: Primeiro foram realizados levantamentos minuciosos de pontos críticos e depois implementados estudos para mitigar ou eliminar riscos. Em paralelo, analisamos toda a legislação pertinente ao negócio da Gravia. De posse dessas informações, estabelecemos quais seriam as intervenções necessárias para atender tanto a norma quanto a legislação trabalhista, de segurança e saúde no trabalho.

InfoGravia: Que mudanças ocorreram com essas intervenções?
Edilene: É bom deixar claro que estamos falando de um processo de evolução na cultura de nossa organização, que obviamente envolve conscientização, mudança de hábitos e comportamentos, em conjunto com alterações estruturais e operacionais. Nesse contexto, vale a pena citar algumas providências determinantes:

  • Criação de rotas de fuga e treinamento de evacuação em caso de emergência;
  • Controle total da saúde e acompanhamento de exames periódicos de todos os colaboradores;
  • Troca de maquinários, objetivando o atendimento da norma NR12, específica para a operação de equipamentos mecânicos, como dobradeiras e cortadeiras, preservando a segurança do operador. Essa medida reduz a praticamente zero o risco de acidentes nesses maquinários;
  • Treinamentos intensivos de segurança, reforçados por acompanhamento contínuo, seja através de diálogos diários ou por inspeções nos postos de trabalho entre outras ações.

Ainda segundo Edilene, o fato de três unidades Gravia alcançarem a marca de 365 dias sem acidentes em janeiro deste ano já comprova de êxito do programa OHSAS. "Porém, observamos um benefício ainda maior que vem impactando diretamente na produtividade e na qualidade do ambiente de trabalho em todos os setores da Gravia. Constatamos que nossos colaboradores se sentem mais seguros e protegidos em seus postos de trabalho com a implantação do programa OHSAS. Há um cuidado maior com o colega, uma percepção mais apurada de bem-estar coletivo, que sem dúvida reflete lá na ponta, no contato com clientes e parceiros de trabalho", pontuou a diretora de RH.