Como financiar construção e escolher a melhor linha de crédito

Financiar construção não é um bicho de sete cabeças, mas é preciso analisar e planejar bem para não ter problemas futuros. Veja como!


26 de junho de 2019

Talvez você trabalhe com obras, esteja no ramo da construção civil há muitos anos e seja um expert no assunto. Talvez seja apenas um construtor de primeira viagem que decidiu construir ou reformar a casa/apartamento. Em qualquer um dos casos é de extrema importância se manter atualizado sobre o que acontece neste universo, para não ser passado para trás. Como o assunto que vamos abordar hoje: como financiar construção e escolher a melhor linha de crédito.

No Brasil existe uma associação quase inevitável com a Caixa Econômica Federal ao se falar em financiamento para construção. Bom, de fato, este é o banco que mais domina esse mercado. O que não quer dizer que você tenha apenas essa opção. Pelo contrário, as opções são as mais variadas. Mas é preciso pesquisar. E pesquisar mais um pouco. E anotar. E fazer contas. Você já deve ter observado que sempre falamos sobre as transformações que o mundo, de forma geral, está passando. E, claro, com o sistema financeiro não seria diferente.

Sabendo disso, não é nenhuma surpresa saber que ele também está sendo transformado e, a cada dia, novas opções de crédito imobiliário surgem no mercado. E, provavelmente, uma delas será a mais adequada para o seu perfil. A partir dessa informação, você precisará responder algumas perguntinhas básicas, que são fundamentais para a obra e financiar construção. Entre outras, algumas são:

– O que você quer financiar?

– Qual valor financiar?

– Qual o melhor tipo de crédito?

– Qual o custo do financiamento?

– Quais são as exigências dos bancos?

Como financiar construção

Basicamente, para construir você irá precisar de dinheiro para comprar o terreno, pagar a mão de obra e comprar os materiais. Atualmente é possível optar por uma linha de crédito para financiar construção + mão de obra + materiais. Sendo que, dependendo da necessidade, esse financiamento pode ser moldado.

A partir do momento que tipo de financiamento será realizado é preciso decidir o valor. Mas observe, é preciso estimar o valor do imóvel pronto, porque dificilmente o banco irá financiar 100% do valor total. Assim, saber o valor total vai te ajudar a saber quanto dinheiro você precisará ter guardado antes de solicitar o financiamento.

Assim: se um imóvel custa R$100 mil, financiar esse valor em uma linha de crédito onde o percentual máximo de financiamento é de 80%, isso quer dizer que você precisa ter, no mínimo, R$20 mil guardados antes de solicitar o financiamento.

Como escolher a melhor linha de crédito

A melhor maneira de realizar um financiamento é: financiar o mínimo possível. Além disso, é muito importante incluir o valor de todas as taxas: cartório, prefeitura e administração. Além dos honorários do arquiteto, engenheiros e outros.

Para decidir o prazo do financiamento ou a quantidade de parcelas é preciso analisar quanto você poderá pagar mensalmente. Economistas aconselham: o ideal é que o valor máximo da prestação não ultrapasse 30% da renda familiar bruta mensal.

Analise as propostas para financiar construção

As propostas para financiar construção costumam apresentar vários índices e opções. Mas é preciso entender e analisar cada um deles. Você sabe, por exemplo, qual a diferença entre taxa pós e pré-fixada? Quais são os tipos de amortização? Quais são as taxas de administração? E a taxa do seguro habitacional?

Pois então! Explicar detalhe por detalhe levaria pelo menos um dia inteiro. Por isso não faremos isso – não agora. Mas você pode buscar pela internet e irá achar cada um dos detalhes de maneira fácil. Aconselhamos que, caso você não seja um expert em finanças, comece a pesquisar e analisar o CET [Custo Efetivo Total].

Esse dado considera o valor de todas as taxas e despesas incidentes na operação de crédito. Isso quer dizer, representa o valor total que você irá ter pago no final do financiamento. Esse cálculo considera o valor principal, juros, impostos, seguro, tarifas, entre outras taxas.

De forma geral, o CET é apresentado como uma taxa de juros anual. Dessa forma, é possível comparar as linhas de crédito com número de parcelas diferentes. Ou seja, você pode comparar as propostas para financiar construção no mesmo banco com 180 e 360 parcelas.

Outras análises recomendadas são: percentual máximo financiável, prazo de pagamento, prazo de construção, permissão ou não do uso do FGTS, plano de reajuste e condições de rescisão e repasse.

Compare as propostas para financiar construção

Se você já tem conta em um banco e gostaria de saber se este possui o melhor financiamento, o ideal é comparar. Atualmente, quase todos os bancos e financeiras possuem simuladores em seus sites. Então, defina um perfil padrão e simule em, pelo menos, três sites.

Fazendo as simulações você será capaz de comparar o CET, as taxas de juros e condições de pagamento gerais. O que irá te ajudar a decidir qual a opção de crédito para financiar construção caberá melhor no seu bolso. Lembre-se de comparar, também, as condições de rescisão, repasse, entre outas cláusulas antes de assinar o contrato.

Se ainda não se sentir satisfeito em fazer as simulações em bancos, experimente plataformas como a MelhorTaxa. Através dela você vai fazer uma única solicitação de orçamento, direto no site mesmo. E eles irão enviar seu pedido para os bancos. Ao receber as respostas, a plataforma organiza as propostas de maneira simples. Assim você pode comparar de forma mais simples e nos mínimos detalhes.

As principais exigências são:

Para que o banco ou financiadora autorize e efetive a proposta para financiar construção, você precisa:

– ser maior de 18 anos;

– possuir idoneidade cadastral [ou seja, ter ficha limpa no SERASA];

– o imóvel deve ser utilizado para moradia própria;

– possuir capacidade de pagamento.

Geralmente, cada banco ou financiadora possui sua lista de documentos, mas podemos apontar os básicos para construção que você precisa ter em mãos para solicitar um financiamento:

– alvará de construção emitido pela prefeitura;

– planta baixa, fachadas e projetos auxiliares;

– cronograma físico-financeiro completo da obra;

– memorial descritivo de materiais e serviços.

E aí, conseguiu ter uma ideia mais clara de como funciona a solicitação para financiar construção? Já passou dessa fase? Que tal dar uma navegada pelo nosso site e conferir algumas esquadrias em aço e alumínio para compor a sua construção?!




Newsletter

Inscreva-se e fique por dentro